ALERTA: tem menos arroz e feijão e mais açúcar na mesa do brasileiro

Pesquisa do IBGE faz um mapa da alimentação do brasileiro em dez anos e serve de alerta

Por Mari Melendez, nutricionista

 Você notou alguma mudança no seu padrão alimentar?

Passou a consumir mais alimentos naturais e saudáveis ou consome mais alimentos industrializados?

E as frutas e vegetais?

A dieta tradicional do brasileiro, em especial o nosso “arroz, feijão, carne e salada”, é mundialmente conhecida como uma dieta equilibrada nutricionalmente. Mas será que isso mudou ao longo dos últimos anos?

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Ministério da Saúde, divulgou nesta sexta-feira (21) os resultados da análise de consumo alimentar pessoal de brasileiros realizada pela Pesquisa de Orçamentos Familiares. Entre julho de 2017 e julho 2018 foram coletados dados de consumo alimentar de 34.003 moradores com mais de 10 anos de idade em todo Brasil. Os dados foram comparados com a última pesquisa feita entre 2008 e 2009.

Depois de dez anos os principais resultados foram:

1.           Houve uma redução no consumo de arroz em feijão, embora os brasileiros ainda tenham como base de sua dieta essa combinação tradicional e de ótima qualidade nutricional.

2.           O consumo de preparações como sanduíches aumentou em todas as regiões brasileiras e em todas as classes de renda e têm substituído alimentos como o arroz e feijão de maneira ainda discreta.

3.           Houve uma redução no consumo de frutas, verduras e legumes e ainda está aquém do recomendado, especialmente, entre as pessoas com renda mais baixa.

4.           O consumo de refrigerantes se reduziu em todas as classes de renda, em especial, nas rendas mais elevadas;

5.           Os brasileiros passaram a comer menos fora de casa nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e na área rural. Não estão incluídos, aqui, os serviços de entrega em casa ou aquelas situações em que a comida é comprada fora e levada para ser comida em casa.

6.           O consumo de fibra se reduziu em todas as faixas etárias (em especial, nos idosos) em ambos os sexos;

7.           Houve redução no consumo de carne bovina e redução no consumo de gorduras saturadas;

8.           O consumo de açúcar de adição (açúcar de mesa e aquele adicionado aos alimentos)  aumentou, em especial entre os adolescentes

9.           O consumo de sódio continuou elevado desde a última pesquisa, sendo mais elevado em homens adultos e reduzidas em mulheres idosas.

10.         Adolescentes apresentaram consumo mais elevado de macarrão instantâneo, biscoito recheado, biscoito doce, salgadinhos chips, linguiça, salsicha, mortadela, presunto, chocolates, achocolatados, sorvete/picolé, sucos, refrescos/sucos industrializados, refrigerantes, etc

11.         Os alimentos ultraprocessados constituem 1/5 das calorias consumidas e os alimentos in natura, mais da metade das calorias.

              Esses pontos evidenciam o quanto estamos longe do ideal. Que tal aproveitarmos esse momento para valorizarmos o consumo consciente de alimentos que são a base para a nossa saúde? Se você pensa em longevidade, acredite, precisa dar atenção ao que você come agora.

Fonte: Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018 : análise do consumo alimentar pessoal no Brasil / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento – Rio de Janeiro : IBGE, 202

VEJA TAMBÉM

Cientistas dizem ter descoberto por acaso órgão misterioso no centro da cabeça humana

Uma equipe de pesquisadores na Holanda acredita que pode ter encontrado um novo conjunto de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *