Alongamento é melhor que caminhada para baixar a pressão, diz estudo

Segundo pesquisadores canadenses, os efeitos benéficos da prática não se restringem aos músculos, mas também impacta as artérias

Alongamento pode ser uma boa ferramenta contra a hipertensão  (Foto: Alora Griffiths / Unsplash )
Alongamento pode ser uma boa ferramenta contra a hipertensão (Foto: Alora Griffiths / Unsplash )

Um novo estudo da Universidade de Saskatchewan (USask), no Canadá, aponta que fazer alongamento é melhor do que uma caminhada rápida para reduzir a pressão arterial em pessoas com hipertensão ou que corram o risco de desenvolver pressão alta.

Publicada em dezembro no periódico Journal of Physical Activity and Health, a pesquisa sugere que o alongamento deve fazer parte de um plano de tratamento completo para pessoas que lutam contra a pressão alta. “Todo mundo pensa que alongamos apenas os músculos”, disse, em nota, o professor Phil Chilibeck, coautor do estudo. “Mas ao fazer isso, você também está alongando todos os vasos sanguíneos que alimentam o músculo, incluindo todas as artérias. Se você reduzir a rigidez nas artérias, haverá menos resistência ao fluxo sanguíneo.”

Embora estudos anteriores indiquem que o alongamento pode reduzir a pressão arterial, a pesquisa do USask é a primeira a comparar a caminhada a esse exercício. Chilibeck e colegas designaram aleatoriamente 40 homens e mulheres com idade média de 61 anos em dois grupos durante oito semanas: um fez uma rotina de alongamento de corpo inteiro por 30 minutos a dia, cinco dias por semana, e o outro grupo caminhou pelo mesmo período e frequência. Todos os participantes tinham pressão arterial elevada ou hipertensão estágio 1, no início do estudo.

Antes e depois dessas etapas, foi medida a pressão arterial dos participantes enquanto estavam sentados, deitados e por mais de 24 horas usando um monitor portátil. O alongamento resultou em maiores reduções na pressão em todos os três tipos de medição. Os caminhantes, no entanto, perderam mais gordura corporal na cintura no estudo com oito semanas.

De acordo com os autores, as pessoas que já estão acostumadas devem continuar a caminhar para combater a pressão alta, porém, também é importante que adicionem sessões de alongamento à rotina.

A equipe agora busca financiamento para fazer um estudo maior, envolvendo mais participantes. Eles querem expandir o escopo além da medição da pressão arterial para explorar algumas das razões fisiológicas por trás do porquê o alongamento reduz a pressão arterial.

FONTE: REVISTA GALILEU / GLOBO

VEJA TAMBÉM

Vacinação contra a influenza começa nesta segunda (12)

Público-alvo será dividido em etapas e contará com 100 salas de vacina O público-alvo de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *