Campanha de vacinação contra a covid-19 completa um ano no DF

Primeiros vacinados não contraíram a doença após imunização; até o momento, mais de 5 milhões de doses foram aplicadas

Já são 365 dias de campanha de vacinação contra a covid-19 no Distrito Federal. Um ano repleto de significados, pois a vacina trouxe a perspectiva de dias melhores para toda a população. Neste período, cada dose aplicada era comemorada com sorrisos, alegria e lágrimas de emoção. Hoje, a capital federal, soma mais de 5,1 milhões de doses aplicadas e já imuniza crianças a partir dos 5 anos de idade.

A enfermeira Lídia, que trabalha no Hospital Regional da Asa Norte, foi a primeira vacinada no DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF
A campanha de vacinação começou pelo Hospital Regional da Asa Norte (Hran). A primeira imunizada foi a enfermeira Lídia Rodrigues. Na época, ela relatou que era um momento de esperança para todos os profissionais que estavam na linha de frente da pandemia.

Após um longo ano de trabalho, Lídia permanece no Hran, completou seu esquema vacinal e não contraiu a doença depois de ser imunizada.  Ela diz que espera não ver mais “os casos graves que tivemos antes da vacinação”.

Glória foi a primeira mulher idosa a receber a vacina contra a covid-19 – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Glória Neri, de 76 anos, foi a primeira idosa a ser vacinada no Distrito Federal. Ela mora no Lar dos Velhinhos Maria Madalena, no Núcleo Bandeirante. Ali convivem outros 121 idosos e 91 cuidadores. Eles também receberam a vacina no primeiro dia da imunização.

Hoje, um ano após receber a vacina contra covid-19, dona Glória esbanja saúde. Além de completar o ciclo vacinal, recebeu o reforço do imunizante e nunca contraiu o Sars-CoV-2. “Ela também foi vacinada contra a Influenza e nem gripe pegou ao longo de 2021”, assegura o enfermeiro que cuida da idosa, Diogo Pinheiro.

Glória vive no Lar dos Velhinhos Maria Madalena e foi vacinada no dia 19 de janeiro de 2020 – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Indígenas

Em 20 de janeiro, a vacina chegou nos braços de índios da etnia Guajajara. Os indígenas moram na aldeia Teko Haw, localizada no setor Noroeste. O cacique, Francisco Guajajara, 45 anos, foi o primeiro a receber a dose da vacina CoronaVac para dar o exemplo ao restante da tribo.

A vacinação dos indígenas começou na tribo Teko Haw pelo cacique Francisco Guajajara – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

“É bom vacinar porque ninguém aqui quer morrer e a doença não escolhe quem vai atingir, pode ser rico, pobre, índio, branco”, afirmou na época.

No local, vivem 23 famílias, cerca de 250 pessoas. Um ano após a primeira dose, o cacique conta que não teve covid.  A maior parte dos integrantes da tribo também já recebeu a dose de reforço. “Não pegamos covid-19. As crianças chegaram a ficar gripadas, mas nem febre tiveram. Graças a Deus estamos todos bem aqui na aldeia, com saúde”, garante.

O cacique Francisco Guajajara – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, reforça a importância da campanha de vacinação na luta contra a covid-19. “Começamos um trabalho de reconstrução do sistema de saúde pública do DF que foi prejudicado pela pandemia. Estamos retomando este objetivo entregando novas unidades e contratando profissionais. A população pode ajudar se vacinando corretamente. É isso o que tem salvado vidas. Reforço o pedido para que procurem nossos postos para receber a imunização completa”.

VEJA TAMBÉM

1 em cada 2 pacientes internados nos hospitais brasileiros é desnutrido

“Estamos diante de uma epidemia silenciosa e, na maioria das vezes, negligenciada”, é o que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *