Um estudo brasileiro sugere que a canela pode ajudar a controlar o diabetes

Neste sábado (6) um estudo brasileiro foi publicado na revista Jornal do American College of Nutrition Ele analisou a relação entre canela e diabetes tipo 2. Os resultados promissores mostraram que o consumo diário da especiaria pode ajudar no controle da doença.

O diabetes tipo 2 é mais comum e geralmente afeta pessoas com mais de 40 anos. Nele, nosso corpo se torna incapaz de usar a insulina adequadamente, que é um hormônio produzido no pâncreas que desempenha um papel importante no metabolismo do açúcar. Quando isso acontece, não podemos usar esse combustível, e o nível de glicose no sangue (concentração de glicose no sangue) aumenta – causando uma cascata de consequências negativas para o organismo.

A relação entre canela e controle do diabetes não é nova. Mas, de acordo com José Claudio Lyra, pesquisador da Universidade Federal de Ciara e principal autor do estudo, os resultados, até então, não eram claros e exigiam mais investigações. “É por isso que, em 2016, comecei a pesquisar durante meu doutorado”, disse Lyra. Excelente.

O ensaio clínico foi realizado entre agosto e dezembro de 2019, e contou com 140 voluntários de Barnepa, Piauí. Todos tinham diabetes tipo 2 e frequentavam cinco unidades básicas de saúde do município.

Havia pessoas de ambos os sexos entre 18 e 80 anos. Todos eles têm índice glicêmico de hemoglobina (que mede o percentual de glicose no sangue) igual ou superior a 6%. Para efeito de comparação, pessoas com menos de 5,7% correm o risco de desenvolver diabetes.

Os voluntários foram divididos em dois grupos. A primeira é ingerir três gramas de canela por dia em quatro cápsulas durante três meses – o equivalente a uma colher de chá de comida. “A dose foi escolhida a partir de uma média de estudos semelhantes que já haviam testado a canela no mundo todo”, explica Lyra. O segundo grupo recebeu um placebo.

Todas as pessoas seguiram a mesma dieta, exercícios e rotina de medicação de antes. O estudo foi triplo-cego: os pacientes, os técnicos de laboratório responsáveis ​​pela análise dos dados e o investigador principal não sabiam qual grupo estava usando canela ou placebo. É uma forma de evitar resultados potencialmente enviesados. “Havia um cientista participando do estudo responsável por essa classificação”, disse Lyra. “As informações foram guardadas em um envelope lacrado, que foi aberto ao final do teste”.Continua após o anúncio

Ao final dos 90 dias, os voluntários foram submetidos a novos exames de sangue para medir as diferenças. O grupo que comeu canela A diminuição média foi de 0,21% nos indicadores de hemoglobina glicada, enquanto aqueles que receberam o placebo registraram um aumento médio de 0,38%.

No teste de glicose no sangue em jejum, que também é usado para controlar o diabetes (e claro o jejum), houve uma diminuição de 10 mg / dL entre aqueles que consumiram canela, enquanto o nível no grupo placebo aumentou 21 mg / dL. Os voluntários apresentavam, em média, glicemia de jejum de 186 mg / dL – idealmente, deveria estar sempre entre 100-120 mg / dL.

Também foi calculado Indicador HOMA-IR, que mede se a resistência à insulina é alta ou não. Em média, o índice caiu 0,47% entre aqueles que usaram canela e aumentou 0,30% no grupo do placebo.

“Além disso , Lyra observa que pacientes com idades entre 40 e 65 anos têm melhores resultados do que outros, assim como aqueles que têm diabetes há mais de cinco anos.

A pesquisa contou também com especialistas de outras instituições, como USP, Fundação Oswaldo Cruz e Universidade de Washington, nos Estados Unidos. No futuro, há planos de reteste com mais voluntários, bem como em mais lugares no Brasil. CEssa região tem hábitos alimentares e de vida diferenciados que acabam interferindo na saúde dos diabéticos. ”

É importante notar que a canela deve funcionar como um complemento ao tratamento que inclui a medicação adequada, uma alimentação saudável e exercícios regulares. “O Dr.O diabetes é uma doença crônica que deve ser tratada por toda a vida. Mas com o tempo, as pessoas podem relaxar ou até mesmo ignorar os cuidados necessários ”, diz Lyra. Por isso as pesquisas tentaram desenvolver um novo aliado para esse tratamento, que não causa efeitos colaterais e é fácil de seguir.“ Uma dose de a canela pode ocorrer em uma única refeição ou em doses divididas e, idealmente, é. na natureza. “

A canela não é a única que pode ajudar no diabetes. O pesquisador também cita testes promissores com alimentos como maracujá, gengibre e cúrcuma. “Nós queremos Forneça recursos ao paciente para melhorar a qualidade de vida, reduzir custos de hospitalização e complicações causadas por doenças. ”Materiais de melhor desempenho também podem ser usados ​​como base para a formulação de medicamentos fitoterápicos.

FONTE: SUPER INTERESSANTE

VEJA TAMBÉM

Doença de Peyronie: conheça a condição por trás do “pênis torto”

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), pelo menos 11% dos homens no país são …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *